musicas.mus.br

Letras de músicas - letra de música - letra da música - letras e cifras - letras traduzidas - letra traduzida - lyrics - paroles - lyric - canciones - JUSTIçA DOS PONTEIROS - F.A.R.O - música e letra

Utilize o abecedário abaixo para abrir as páginas de letras dos artistas

A B C D E F G H I J K L M N O P Q R S T U V W X Y Z

Justiça Dos Ponteiros letra


A vida são deveres que nós trouxemos para fazer em casa
Quando se ve ja são 6 horas
Quando se ve ja é sexta feira
Quando se ve ja é natal
Quando se ve ja terminou o ano
Quando se ve ja não sabemos por onde andam nossos amigos
Quando se ve perdemos o amor

Tic tac quem planta colherá, nessa filosofia o rei volta pra cobrar
Sem compaixão truta massagem, quem plantou maldade vai colher maldade.
Tic tac quem planta colherá, nessa filosofia o rei volta pra cobrar
Sem compaixão truta massagem, quem plantou maldade vai colher maldade.

Um velho sem idade
Um senhor sem compaixão
Enquanto passa o que acontece fica jogado no chão
Ele se foi como um ladrão, está presente como amigo, ele te ajuda como mãe mas te destrói como inimigo.
Com um tiro uma noticia ele julga quem perece, deixa lagrimas no rosto do soldados que padecem.
Estende a mão pra quem merece, mas atira quando cresce, ele é o dono do presente sabe tudo que acontece
Ele é o dono do passado, ele decide o futuro, ele constrói, ele sustenta e derruba todo muro

Agora, agora é tarde demais para ser reprovado

Tic tac quem planta colherá, nessa filosofia o rei volta pra cobrar
Sem compaixão truta massagem, quem plantou maldade vai colher maldade.
Tic tac quem planta colherá, nessa filosofia o rei volta pra cobrar
Sem compaixão truta massagem, quem plantou maldade vai colher maldade.

Tic tac salve a majestade, o dono da verdade, cruel sem piedade, porém nunca covarde, mudar não tem idade, perdão é igual ajuda pra pedir nunca é tarde
O rei sempre está julgando quem faz o bem quem faz o mal, porém, seu veredito no final é sempre igual, pode parecer cruel mas tem ser assim, porque todos iguais, teremos o mesmo fim

Ele sempre está olhando, fitando seu proceder, ja ouviu a expressão amanha vai ser você?
Ele é cabreiro e justo até o fim, não faça pros outros oque eu não quero que faça pra mim

Essa é ideia, essa é a proposta, com o rei o papo é reto, dá vida ao agiota, condenando idiotas ratos voltem pra suas tocas que a justiça ta de volta, batendo de porta em porta
Caiu sangue nada sobra, ta devendo ele cobra, paga a conta ou ela dobra toda massa de manobra, hipocrisia patriota, inimiga da riqueza, operario da justiça te apresento a realeza

Se me fosse dado um dia, uma oportunidade, eu nem olhava o relogio, eu segueria sempre em frente e iria, jogando pelo caminho a casaca dourada e inutil das horas

F.A.R.O - Letras

©2003 - 2018 - musicas.mus.br